Atividade física de resistência, quando ela passa a ser um risco a nossa saúde?

Os benefícios das atividades físicas regulares sobre o coração já estão bem estabelecidos, e é importante relembrar que os dados apresentados mostram uma redução da mortalidade em torno de 20% para atividades de moderada ou intensas, realizadas durante 30 minutos, em uma média de três a cinco vezes por semana, e são recomendadas pela maioria das Sociedades de Cardiologia no mundo.
 
A popularidade dos esportes de resistência, principalmente a corrida, vem aumentando muito no nosso meio, fazendo com que milhares de pessoas saiam à rua para correr. O apelo ao esporte, o culto ao corpo, a melhora da qualidade de vida, o medo de ficar fora de grupos, as superpropagandas com viagens e circuitos impressionantes, fizeram com que a nossa percepção se tornasse afeita a todos estes convites, porém, muitas vezes, não nos percebemos das nossas limitações, e, com medo de ficar para trás em um mundo supercompetitivo, esquecemos de reconhecer nossas capacidades físicas, nossas tendências genéticas, os possíveis riscos embutidos em um corpo que supostamente não estaria preparado para estas atividades.
 
Recentes estudos mostram que pessoas com mais de 35 anos são as maiores vítimas de morte durante a atividade física, embora este número seja bastante baixo (média de 10 mortes entre 100 mil corredores/ano). Sempre que um evento deste ocorre, existe uma grande repercussão em nosso meio, e sempre nos perguntamos o que houve, de que maneira poderíamos ter prevenido. Será que este indivíduo ultrapassou seus limites, será que conseguiríamos ter mudado esta história tão trágica?
 
Os benefícios das atividades físicas regulares sobre o coração já estão bem estabelecidos, e é importante relembrar que os dados apresentados mostram uma redução da mortalidade em torno de 20% para atividades de moderada ou intensas, realizadas durante 30 minutos, em uma média de três a cinco vezes por semana, e são recomendadas pela maioria das Sociedades de Cardiologia no mundo. De forma alguma, poderíamos afirmar que não valeria a pena nos engajarmos para um começo, manutenção ou até aumento da carga na atividade. Partindo de uma boa avaliação médica, chancelada por um cardiologista, com exames regulares em dia, poderemos atingir níveis de treinamento crescente e intensidade bem definida. Desta maneira desfrutaremos de todo o benefício que a atividade física nos proporciona, com muita efetividade e acima de tudo com muita segurança.
 
Matéria publicada pelo site Jornal do Comércio

Spread the word. Share this post!

Leave Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *