Publicação da Unesco traz diretrizes para o ensino de Educação física de qualidade

Preocupada com os crescentes níveis de inatividade física, a Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (Unesco) lançou o estudo Educação física de qualidade: Guia para os legisladores (disponível apenas em inglês – clique aqui para acessar). A publicação é voltada para os gestores governamentais e destaca os benefícios de se investir em Educação Física desde os primeiros anos escolares.
 
A inatividade física é considerada uma pandemia pela Organização Mundial da Saúde (OMS), que contribui para a morte de 3,2 milhões de pessoas todos os anos – mais do dobro das mortes por AIDS. “Nossa visão é clara – esporte e Educação física são essenciais para a nossa juventude, para termos vidas mais saudáveis, sociedades resilientes e combatermos a violência. Mas isso não acontece por conta própria – é preciso ações dos governos e apoio da comunidade internacional”, diz Irina Bokova, diretora-geral da Unesco, na introdução do guia.
 
“Um ponto relevante, tanto do Guia como da Carta Internacional da UNESCO, é o fato de alertarem subliminarmente que não basta apenas instigar ou mesmo ofertar legalmente a Educação Física e o Esporte, mas que a atividade deve ser ministrada por Professores Qualificados”, escreveu em depoimento Jorge Steinhilber*, presidente do Conselho Federal de Educação Física (Confef) e conselheiro do Educar para Crescer.
 
A publicação trata de diversas áreas que precisam de atenção na definição de políticas públicas sobre a disciplina, como o currículo, a formação dos professores, a implementação nas escolas e a infraestrutura. A organização chama bastante atenção também para a importância de uma prática inclusiva, que deve capacitar meninas, encorajar o diálogo e compreensão intercultural, apoiar o fortalecimento das pessoas com deficiência, romper barreiras e desafiar estigmas e aumentar as chances de vida.
 
Veja outros dados sobre a importância de uma política de Educação física de qualidade:
 
– 97% dos países alegam que a Educação física é uma prática compulsória, mas só 79% deles tem um currículo prescrito;
 
– Em 54% deles, a Educação física tem uma apreciação de status mais baixa que outras disciplinas;
 
– Só 53% das escolas primárias têm professores de Educação física que foram adequadamente capacitados e treinados.
 
Matéria publicada pelo site Educar para Crescer

Spread the word. Share this post!

Leave Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *