Saiba como funcionam as fitas adesivas usadas pelos atletas

EXAME.COM – São Paulo – Atletas de diversas modalidades foram vistos nas competições das Olimpíadas de Londres utilizando um acessório curioso e ainda pouco conhecido: Kinesio Tape, fitas coloridas coladas em várias partes do corpo, como ombros, pernas, joelhos e coluna. Mas o que parece apenas um adesivo de enfeite, na verdade possui diversas funções e vem conquistando adeptos, principalmente entre os esportistas de alto rendimento. Leia Mais 28/08/2012 | Empresa de segurança nas Olimpíadas perdeu € 63,5 mi 27/08/2012 | Medley/Campinas lança loja virtual de seu time de vôlei 27/08/2012 | Oversharing em Londres serve como alerta ao Brasil 24/08/2012 | Forças Armadas estão prontas para atuar em Copa e Olimpíada As fitas Kinesio, ou Kinesio Tape, foram inventadas há mais de 30 anos pelo quiropraxista japonês Kenzo Kase para tratar e prevenir lesões musculares e articulares sem limitar os movimentos do corpo. O método não utiliza substâncias químicas e não consiste somente em aplicar as bandagens. É necessário um trabalho conjunto entre quiropraxista e atleta para que seja feito de forma adequada. As bandagens terapêuticas são elásticas e adesivas e agem de acordo com a direção e tensão com que são aplicadas. Elas funcionam enviando estímulos ao cérebro e também possuem ondulações que elevam a pele, melhorando a circulação sanguínea. Essas fitas são utilizadas principalmente para reduzir dores e sensação de desconforto. Elas promovem suporte durante a contração muscular, ajudam nas correções dos desvios articulares e no aumento da propriocepção – capacidade de receber estímulos provenientes dos músculos, dos tendões e de outros tecidos internos. Além das funções já citadas, essas bandagens também reduzem edemas e hematomas, melhoram a circulação linfática e proporcionam suporte muscular e articular aos ombros, costas, joelho, panturrilhas e outras articulações. “Apesar de serem mais conhecidas por atletas, as fitas Kinesio podem ser utilizadas em bebês, para diminuir os efeitos das cólicas e em pessoas que tiveram algum tipo de paralisia muscular, inclusive as causadas por derrame”, explica Luiz Miyajima, quiropraxista responsável pela sede brasileira da clínica QuiroVida.

Spread the word. Share this post!

Leave Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *