Velhos erros consagrados que não devemos cometer nos exercícios

Controlar voluntariamente a respiração durante o exercício, praticar esportes em jejum e suar na tentativa de perder peso estão entre os mais comuns.
 
Mesmo com todas as informações e esclarecimentos disponíveis, alguns praticantes de atividades físicas ainda persistem em alguns erros conceituais que poderíamos dizer até “consagrados pelo uso” a respeito de exercícios, treinamento e hábitos nutricionais, que sempre vale a pena abordar:
Controle voluntário da respiração:
A ciência explica que a respiração durante o exercício é um processo regulado pelo sistema nervoso sem nenhuma necessidade de controle voluntário. A respiração é ajustada conforme a necessidade metabólica por um mecanismo extremamente preciso. Toda vez que interferirmos voluntariamente na respiração ao fazer exercício estaremos introduzindo um fator de erro. Se literalmente “esquecermos” da respiração ela sempre será ajustada de forma precisa.
Fazer exercícios em jejum:
O hábito de fazer exercício em jejum com a expectativa de queimar mais gordura como combustível, absolutamente não tem nenhum fundamento científico. Ao contrário de benefício, existe sempre um risco de sofrer um mal súbito, além de poder prejudicar o próprio desempenho. Quando nos exercitamos em jejum no início da manhã, estaremos solicitando uma elevada demanda energética com nossas reservas de carboidrato minimizadas por várias horas sem alimentação. Os músculos sempre precisam de carboidratos para a produção de energia durante o exercício e a carência deste nutriente, ao contrário de desviar o metabolismo para o uso de gordura, vai prejudicar a própria produção de energia.
Suar para perder peso:
Perder peso através da sudorese absolutamente não significa perder massa corporal ou emagrecer. A redução de peso devido à perda de líquido pelo suor é um ônus que o corpo sofre para lutar contra o calor. Sempre vai ocorrer a reposição deste líquido perdido nas horas subsequentes ao término da atividade, tanto pela maior ingestão de líquidos através do mecanismo da sede, quanto pela diminuição da diurese, pois a quantidade de líquido corporal é um índice absolutamente preciso e controlado por mecanismo extremamente eficientes. Ao contrário de exacerbar a sudorese devemos ajudar o corpo a lutar contra o calor, minimizando a sudorese com roupas adequadas e ambientes que na medida do possível proporcionem conforto térmico.
 
Matéria publicada pelo site Eu Atleta

Spread the word. Share this post!

Leave Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *