Fisioterapia aquática é primeira etapa possível para o tratamento de lesões

Chamamos de medicina branca quando o ortopedista tenta todos os recursos médicos ou fisioterápicos possíveis antes de optar pela cirurgia. Muitos conhecem e acreditam nos efeitos benéficos do tratamento na água por terem sido pacientes e com bons resultados.
A fisioterapia aquática é o tratamento mais precoce possível. Porque podemos trabalhar com zero carga, sem colocar os pés no chão, em flutuação, fazendo movimentos funcionaisque ajudam na recuperação da lesão sem agredi-la.
O empuxo, força que vem de baixo para cima, alivia a dor, melhora a circulação de retorno,diminui o edema, não faz compressão sobre a articulação e aumenta milimetricamente o espaço interarticular.
A pressão hidrostática pressiona o corpo todo por igual, de baixo para cima, como uma meia elástica. A pressão é maior no fundo e vai diminuindo em direção à superfície da água. Elamassageia os gânglios linfáticos, fazendo uma drenagem natural, eliminando o edema, como no caso conhecido popularmente como “água no joelho”.
O corpo humano é sábio. Quando há um traumatismo na articulação, o liquido sinovial vem para protegê-la e incha, é o famoso edema. Houve um machucado, como se fosse uma ferida, só que nós não vemos. Se continuarmos colocando carga, sobrecarregando a articulação, ela vai ficar mais inchada e dolorida. É necessário dar um repouso ativo para recuperá-la.
O que é repouso ativo?
É continuar com o exercício funcional, sem carga. Isto só é possível na água.
O que é exercício funcional?
É o caminhar, pedalar, executar exercícios que a articulação permite, sem machucá-la. A água nos dá a possibilidade de trabalharmos a articulação e a musculatura, para não perdemos força, amplitude de movimento e sua função.
Trabalhamos em “deep water”, sem atuação da força da gravidade, do nosso peso corporal, sem tocar os pés no chão da piscina. Você pode estar utilizando cadeira de rodas ou muletas e entrar na água, executando todos os exercícios possíveis sem carga. Os que são mais adaptados podem trabalhar no fundo da piscina, são os exercícios subaquáticos, com utilização de mascara e snorkel.
A medida que a recuperação evolui, vamos trabalhando com água na altura do pescoço e com 10% a 20% do peso corporal, o que é muito pouco. Progressivamente, vamos aumentando o peso e, consequentemente, a ação da gravidade.
No caso de cirurgias, após a cicatrização dos pontos é possível realizar na recuperação a água, ela é muito mais rápida. Na Alemanha, a pessoa opera a coluna hoje e amanhã já está na piscina caminhando. Existe curativo especial. Aqui, os médicos, por segurança, preferem esperar a cicatrização completa.
Após a cicatrização, de acordo com a patologia, cirurgia, lesões, e as restrições de movimentos, o fisioterapeuta começa o trabalho de reabilitação na água o mais precoce possível, diminuindo a dor, o edema, devolvendo o movimento articular e sem sofrimento.
Matéria publicada pelo site Eu Atleta

Spread the word. Share this post!

Leave Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *