Repúdio da direção do Sinpefepar

 

E

m nota o arcebispo de Maringá, Dom Anuar Battisti diz que a ação policial usada contra os trabalhadores, professores e outras classes foi uma crueldade maligna. Temos que concordar com a afirmação de Dom Anuar, que foi mais além e pergunta em um trecho: com que ânimo os nossos mestres irão voltar às salas de aula?
A resposta para este questionamento já temos: Voltaremos com chagas, com cicatrizes, com o rosto marcado, com os olhos lacrimejando ainda pelo sprai de pimenta e as bombas .
Pisaremos novamente em sala de aula, mais uma vez humilhados, mas com o firme proposito de educar, de ensinar, até mesmo os filhos de nossos algozes.
Renasceremos, mais uma vez, dessa tragédia e permanecerá a luta por uma educação pública de qualidade e por respeito aos trabalhadores do Paraná.
29 de abril, dia que entrará para a história como uma data a se lamentar, dia em que o governo do Paraná ultrapassou todos os limites. Da civilidade, da moralidade, da humanidade. O execrável exemplo de abuso de autoridade, uma mancha deplorável na história do nosso Estado.
Ao custo de sangue e lágrimas de centenas de trabalhadores a votação do projeto de lei 252/2015, aconteceu e foi aprovada.
Que façam como sugeriu Dom Anuar: que governo do estado e os deputados estaduais PEÇAM PERDÃO aos professores e revejam a decisão tomada que afeta o regime próprio dos servidores estaduais e paguem o que o estado deve.
Sergio Nascimento
Presidente do Sinpefepar

Spread the word. Share this post!

Leave Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *