A diferença entre Pilates, Yoga e Treinamento funcional

Na hora de escolher uma atividade física para praticar é normal surgir algumas dúvidas. Será que eu faço pilates ou treino funcional? E as aulas de yoga?
Segundo Mariana Novaes, fisioterapeuta e instrutora de pilates, a yoga e o pilates trabalham a concentração e a consciência corporal.
“Ambas as atividades tem com objetivo o autocontrole e realizam exercícios lentos, porém, existem diferenças entre as técnicas”, afirma.
A Yoga é modalidade que trabalha o corpo promovendo o equilíbrio mental e espiritual.
A prática é feita com exercícios respiratórios e meditação.
Já o Pilates é uma técnica criada pelo alemão Joseph Pilates com o objetivo de fortalecer a musculatura e conseguir um realinhamento da postura preparando o corpo para as atividades físicas.
“O Pilates trabalha com movimentos que exercitam todo o corpo, prevenindo lesões e garantindo o bem estar do aluno”, diz a fisioterapeuta.
O pilates é feito com acompanhamento de um professor e aparelhos específicos para realizar os exercícios.
“Pode ser feito com bola e aparelhos como: Cadillac que trabalha a flexibilidade, Reformer, Step Chair, entre outros”, explica a especialista.
A Yoga é para quem busca um equilíbrio mental, reduzir o estresse e ansiedade do dia a dia.
Já o Pilates é indicado para as pessoas que estão em busca de fortalecer os músculos, alongar o corpo, definir os músculos, melhorar a coordenação motora e prevenir lesões na coluna, joelho, quadril e outras regiões.
Pilates ou treino funcional para secar as gordurinhas?
Se o seu objetivo é ganhar condicionamento físico e eliminar as gordurinhas indesejáveis, o treinamento funcional é o mais indicado.
“Por conta dos seus exercícios, o treino funcional provoca um gasto calórico muito maior do que o Pilates e a Yoga”, explica André Cano Fernandez, , especialista em treinamento funcional do Fit Body Pilates Spa & Estética.
Além disso, os exercícios realizados para melhorar a flexibilidade, contribui para o emagrecimento, coordenação motora, ganho de equilíbrio e o condicionamento cardiorrespiratório.
As aulas são feitas com o acompanhamento de um professor. Os exercícios são realizados com o peso do próprio corpo e também pode utilizar equipamentos como bola suíça, cinto de tração, bosu, minitrampolim, medicine ball, kettlebell, plataformas de equilíbrio.
“Além da tonificação muscular, o Treinamento Funcional implica maior complexidade do movimento e envolvimento de várias capacidades físicas.
Isso faz o organismo ter um gasto energético muito maior, além de trazer grandes contribuições, como melhora da flexibilidade, emagrecimento, otimização da coordenação motora, equilíbrio e condicionamento cardiorrespiratório.
Isso tudo além de motivação e do aumento da autoestima. “Todas essas atividades promovem benefícios para a saúde, o ideal é que você converse com um profissional para que ele indique qual é a melhor atividade para atingir o seu objetivo”, esclarece o profissional.
Matéria publicada no site O Debate
 

Spread the word. Share this post!

Leave Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *