Frutose pode fazer cérebro morrer de vontade de comidas calóricas

Um estudo publicado na Proceedings of the National Academy of Sciences concluiu que a frutose pode fazer o cérebro sentir vontade de comer coisas hipercalóricas.
 
Um estudo publicado na Proceedings of the National Academy of Sciences concluiu que a frutose pode fazer seu cérebro sentir vontade de comer coisas hipercalóricas.
 
O efeito da frutose foi tão poderoso que alguns participantes do estudo até se dispuseram a abrir mão de receber dinheiro para poder comer algo gostoso logo depois do experimento.
 
Como funcionou o estudo?
 
Um grupo de 24 pessoas tomou bebidas com 75 gramas de frutose em um dia. Em seguida, os pesquisadores mostraram aos participantes imagens de comidas calóricas, como doces, pizzas e hambúrgueres. No dia seguinte, o mesmo experimento foi repetido, só que as bebidas eram ricas em glicose.
 
A bebida utilizada nos dois experimentos foi água aromatizada com cereja.
 
Os participantes relataram estar muito mais desejo pelas comidas gordinhas após a ingestão de frutose do que de glicose.
 
Após exames de sangue, os pesquisadores descobriram também que os níveis de insulina no corpo dos participantes ficou significativamente mais baixo após o consumo de frutose que de glicose. A insulina está relacionada à diminuição de ingestão de alimentos calóricos e à sensação de saciedade.
 
De acordo com o estudo, a frutose falha ao estimular a produção de insulina, que dá sinais de saciedade ao cérebro.
 
Além da resposta física causada pela frutose, os pesquisadores também observaram efeitos emocionais.
 
Por meio de exames de ressonância magnética, eles verificaram que os participantes demonstraram mais atividade cerebral em regiões relacionadas ao sentimento de recompensa após terem consumido frutose.
 
Ao fim do experimento, o teste final: os pesquisadores ofereceram aos participantes a possibilidade de ganhar uma recompensa monetária futura ou comer algo gostoso na hora.
 
Aqueles que beberam o drink de frutose apresentaram maior inclinação a aceitar a comida do que os que beberam glicose.
 
Moral da história
 
Os efeitos apresentados pela pesquisa não significam que devamos parar de comer fruta. Um copo de água cheio de açúcar, como o que foi usado no experimento, é bem diferente de comer uma maçã.
 
Mas é algo bem próximo de um suco de fruta de caixinha, um isotônico ou um refresco. Estas bebidas tem muito pouco do que as frutas têm a oferecer — fibras, que diminuem a velocidade de absorção das calorias, vitaminas e minerais — e são ricas em frutose.
 
Matéria publicada no site Brasil Post

Spread the word. Share this post!

Leave Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *